June 22, 2018 / 3:09 PM / a month ago

CORRIGIDO-Startup portuguesa de tradução Unbabel alia inteligência artificial a humana

(Corrige nome da empresa no título. Nome correcto é Unbabel. Segue versão corrigida.)

By Catarina Demony

LISBOA, Jun 22 (Reuters) - Num mundo cada vez mais dependente da tecnologia, algumas tarefas, tipicamente executadas por pessoas, passaram a ser feitas por máquinas, mas para a startup portuguesa de tradução Unbabel a chave do sucesso é aliar as duas inteligências: a artificial e a humana.

Há cinco anos, a Unbabel criou uma solução tecnológica que combina a inteligência artificial com pós-edição humana à tradução automática, uma iniciativa que visa que "todos percebam e sejam percebidos em qualquer língua", disse o CEO Vasco Pedro.

"A Unbabel foi criada com a ambição de atingir os 70 pct de utilizadores da internet que não falam inglês e permitir que todas as empresas possam ter, desde o primeiro dia, um alcance global”, frisou no primeiro evento anual da empresa em Lisboa. A startup nacional alia a tradução automática e uma série de algoritmos para traduzir em 28 línguas a uma equipa de mais de 50.000 tradutores espalhados pelo mundo - colaboradores cruciais para dar coerência e melhorar os conteúdos traduzidos. Em Janeiro, a Unbabel, que está neste momento a criar uma platforma onde os clientes podem aceder a todos os serviços da empresa, recebeu 23 milhões de dólares de investidores como a Microsoft Ventures e a Samsung Next.

Jason Nadal, director na Microsoft, comentou, durante o evento em Lisboa, que "tem sido fantástico ver o crescimento da empresa" nos últimos anos.

PERCEBER CULTURA, NUANCES O objectivo da startup, que já conta com clientes como a Microsoft e o Facebook, é "superar as soluções automáticas criadas por alguns dos maiores nomes no mundo da tecnologia", tal como o Google Translate. Explicou que, apesar de "muitos pensarem que a tradução automática já é perfeita", esta ainda se encontra numa "fase inicial".

Lembrou que, por exemplo, em Outubro 2017, um Palestiniano foi preso após ter partilhado um post no Facebook onde escreveu "bom dia" em árabe, mas a rede social traduziu o texto para "ataque-os" em hebraico.

"Este tipo de coisas acontecem frequentemente", disse Vasco Pedro. "A tradução automática é ainda baseada em estatísticas e falta-lhe algoritmos que detectem se a tradução é suficientemente boa ou se precisa de humanos que a melhorem."

"Os seres humanos são bons a perceber a cultura, nuances e o verdadeiro prepósito da comunicação," sublinhou o CEO. "Com a Unbabel, os tradutores usam tecnologia para se tornarem mais produtivos."

NOVA PLATAFORMA

Segundo o CEO, a tecnológica está a criar uma nova categoria de mercado, chamada 'Translation as a Service'.

O potencial de crescimento não será inferior ao do 'Software as a Service', uma forma de distribuição e comercialização de software, acredita Vasco Pedro.

"Estamos a chegar a um ponto em que a língua vai deixar de ser uma barreira para empresas. 'Translation as a Service' vai crescer da mesma maneira que 'Software as a Service' cresceu e nós vamos continuar a liderar nesse campo", acrescentou o CEO.

"O nosso objectivo é permitir que os nossos clientes se foquem na produtividade e nos conteúdos e não na língua." (Por Catarina Demony; Editado por Sérgio Gonçalves)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below